O cultivo de arroz de mangal está enraizado na cultura de muitos povos da Guiné-Bissau. Apesar das novas ameaças e das mudanças adversas, das marés e da seca, o desenvolvimento da sua produção, transformação e comercialização ainda constitui uma imensa oportunidade para os agricultores.
Através de práticas adaptadas, sustentáveis e dignas, Ianda Guiné! Arrus ajuda os agricultores e as suas comunidades a lidarem com os problemas e a adaptarem-se às mudanças, assegurando alimentação e recursos económicos para as suas famílias.

Objetivos e resultados esperados

A Ação Ianda Guiné! Arrus contribui para garantir o aumento dos rendimentos e a redução da insegurança alimentar dos produtores da fileira do arroz de mangal, através da dinamização da fileira do arroz de mangal nas áreas de intervenção, com enfoque no aumento sustentável da produção.

Para tal, Ianda Guiné! Arrus visa à modernização das bolanhas de água salgada, onde pretende, principalmente, reabilitar e equipar as bolanhas, através da construção de diques para evitar a intrusão de água do mar; executar obras de regulação da água e canais para facilitar a evacuação das águas (doce e salgada); capacitar os produtores nas técnicas de gestão da água na parcela; recuperar e proteger o mangal, por meio da promoção da reflorestação, sensibilização e realização de atividades que contribuam com a proteção do ecossistema do meio através da gestão comunitária.

Ianda Guiné! Arrus pretende ainda aumentar a produtividade das bolanhas, reforçando capacidades para facilitar o acesso às variedades e sementes de qualidade; difundir técnicas culturais adaptadas às alterações climáticas; bem como promover atividades de diversificação produtiva.

Melhorar a transformação e conservação do arroz; aumentar a comercialização e acesso aos mercados; promover mecanismos interprofissionais nas fileiras; tudo isso, através da especialização da fileira do arroz do mangal, também são aspectos que estão a ser trabalhados pela Ação.

O Ianda Guiné! Arrus destaca:
• 5.200 hectares de superfície de bolanhas modernizadas;
• Cerca de 6.000 produtores apoiados;
• 1.000 hectares de superfície de mangal protegidos;
• Cerca de 800 produtores envolvidos na diversificação produtiva;
• Aproximadamente 6.000 produtores apoiados.
• Aproximadamente 7 novos negócios ou serviços promovidos.

As áreas de intervenção da Ação Ianda Guiné! Arrus são: Bissau | Oio | Bafatá | Tombali| Cacheu
Os implementadores da Ação Ianda Guiné! Arrus são: LVIA (requerente) | AD | UNIVERS-SEL | RESSAN-GB

Componente Engenharia Rural

Dentro da Ação Ianda Guiné! Arrus existe a Componente Engenharia Rural. Trata-se de um projeto que tem por objetivo facilitar o escoamento da produção agrícola e melhorar o acesso a serviços sociais básicos para as populações na bacia de Encheia, Oio, através de infraestruturas rodoviárias duráveis nas bacias de N’guan e M’bam.
Assim, a realização de infraestruturas rodoviárias nas bolanhas (pistas rurais/ilhas para debulha) tem dois níveis de atuação em termos de objetivos: (i) Hidroagrícola; (ii) Social.
O primeiro nível visa:
1. Garantir o acesso às bolanhas (com veículos) durante todo o ano, consequentemente facilitar o ciclo de produção do arroz e reduzir em parte a perda pós colheita;
2. Criar um sistema de gestão da água a nível de bacia (porque as infraestruturas são também obras hidráulicas).
O segundo nível visa:
1. Facilitar a ligação dentro das tabankas, favorecendo o acesso aos serviços básicos (saúde, escola…).

Com os dois níveis de intervenção prevê-se: cerca de 7.165 produtores apoiados; aproximadamente 13 Km de pistas realizadas; e 4 ilhas realizadas.

A área de intervenção da Componente Engenharia Rural é: Oio
O implementador da Componente Engenharia Rural é: LVIA

Notícias

Contactos

Menu